Como criar um plano de mídia social para o seu Coworking

Agência de marketing digital

Passos para criar uma estratégia de mídia social e torná-la lucrativa

Nos últimos anos, o fenômeno crescente do Coworking tem sido acompanhado por uma atenção crescente ao posicionamento online e nas mídias sociais desses espaços de trabalho colaborativos.

“Se você construir, eles virão” não se aplica ao seu escritório de coworking, ao seu site ou a outras plataformas de promoção de escritórios flexíveis.

Você acha que postar citações inspiradoras ou belas fotos no Instagram é suficiente para atrair novos membros? Bem, este artigo está aqui para orientá-lo sobre como tornar a mídia social um ativo-chave do seu negócio.

Grande parte do público-alvo do Coworking tem uma forte correspondência com a geração mais ativa nas redes sociais, o que torna isso uma parte crucial da sua estratégia de marketing digital.

O tráfego de mídia social representa entre 20% e 40% do tráfego de sites de coworking. Mais de 60% dos potenciais clientes são gerados através do Instagram, Facebook e Linkedin neste setor.

Você se pergunta por que não obtém benefícios tangíveis para o seu negócio por meio desses canais? Com uma presença forte e empolgante nas redes sociais, você pode atrair novos membros e manter os atuais interessados.

Em 10 minutos de leitura, você encontrará muitas ideias, estratégias, táticas e dicas para melhorar sua presença nas redes sociais e rentabilizar os canais digitais do seu escritório de coworking.

Venha, vamos começar!🚀

Estrutura de uma estratégia de Social Media Marketing para escritórios de coworking

Um Plano de Marketing de Mídia Social ou Plano de Mídia Social é um documento para realizar estratégias de mídia social para atingir os objetivos de marketing da empresa de coworking. Mais importante ainda, os objetivos de negócios são detalhados.

Em outras palavras, um Plano de Mídia Social é um Plano de Marketing de Mídia Social.

É o leme que conduzirá todas as nossas estratégias e ações do plano de mídia social a serem executadas por diversas funções:

O gerente da comunidade.

O Social Media Manager (e se você tiver sorte de encontrar alguém também especialista em anúncios do Facebook e do Linkedin.

O Criador de Conteúdo, que inclui o fotógrafo, criador de vídeo ou criador de conteúdo do blog.

Nos próximos parágrafos, veremos como estruturar e implementar uma estratégia de marketing de mídia social eficaz para o seu escritório de coworking.

Uma premissa antes de começar. Como em todos os planos de negócios, devemos primeiro estabelecer um orçamento para as redes sociais (não existe plano de mídia social sem orçamento).

As 3 fases de um plano de mídia social

1- Auditoria

A primeira e mais crucial fase é a Auditoria interna (canais digitais próprios, recursos, pontos fortes, pontos fracos) e externa (concorrentes, tendências do setor, interesses do público-alvo).

Nesta fase, realizamos uma análise digital 360 ° dos canais digitais e da concorrência.

Analisamos os perfis e páginas da web de concorrentes diretos, o tipo de conteúdo, quais estratégias de Anúncios Sociais estão usando para atrair clientes em potencial e, muito importante para um escritório de coworking, como eles integram sua comunidade.

Depois de concluir a fase de análise, é hora de identificar seu público-alvo – uma das etapas essenciais de todo o plano.

De que adianta ter o melhor escritório de coworking ou os melhores serviços flexíveis, se não o está a oferecer à pessoa certa? Aqui definimos a Persona do Comprador, uma representação semi-fictícia de nosso consumidor final (ou potencial) construída a partir de suas informações demográficas, comportamento, necessidades e motivações.

  • Quais são as suas informações demográficas?
  • No que você está trabalhando e qual é o seu nível de antiguidade?
  • Como é qualquer dia de trabalho?
  • Quais são suas necessidades diárias?
  • Como podemos ajudá-lo a resolver seus principais pontos fracos?
  • Onde eles vão para obter informações?

A partir das informações coletadas, crie um painel de você mesmo e descreva-o como uma história. Dê a ele um nome genérico (David CEO) e, se possível, adicione uma foto que melhor o descreva.

Agora é a hora de determinar os recursos necessários alinhados às necessidades da sua empresa.

Você deve considerar todos os recursos humanos e financeiros e ferramentas para realizar seu plano de mídia social.

Em poucas palavras, você terá que definir quem será o responsável pela parte digital do seu Coworking; você terá que contratar um fotógrafo ou videomaker para criar um conteúdo audiovisual que destaque a vida espacial nele.

Acima de tudo, como veremos mais tarde, você terá que pensar em um orçamento para investir em publicidade nas Redes Sociais.

  1. Operacional (abordagem estratégica e objetiva)

Agora que você fez uma análise aprofundada de todos os fatores que podem influenciar sua estratégia.

Você sabe quem você está almejando e como deve alcançá-los.

Uma estratégia de mídia social nada mais é do que planejar todas as ações que você vai realizar nas redes sociais para atingir os objetivos traçados.

Você pode ter objetivos qualitativos e metas quantitativas; deve determiná-los com base nas metas de negócios que deseja alcançar.

Para definir seus objetivos, comece com uma  estrutura SMART, que permite medi-los de forma adequada.

Quando você começa a projetar a estratégia, precisa ir um passo além das publicações típicas.

Trata-se de publicar conteúdo que atenda a um objetivo.

Dividimos a estratégia de mídia social para um Coworking em três áreas:

  • Estratégia de Conteúdo
  • Anúncios Sociais
  • Gestão Comunitária

Estratégia de Conteúdo

Criar conteúdo de alta qualidade que se alinhe à sua marca e à sua buyer persona é essencial para atrair novos membros em potencial.

Uma estratégia de conteúdo é como ir à academia.

Para que os resultados comecem a aparecer, é preciso esperar pelo menos seis meses.

É preciso ter muita paciência porque, na maioria dos casos, é um processo lento.

Há uma coisa sobre a qual você deve estar claro. O que as pessoas procuram são soluções para seus problemas e necessidades.

É vital criar conteúdo relacionado a cada estágio do funil de conversão TOFU, MOFU e BOFU.

Ok, eu sei que estamos começando a entrar em termos bem específicos.

Vejamos o que significa criar um funil, e os três estágios listados acima significam.

(Não se preocupe, TOFU não tem nada a ver com comida vegana 😅)

TOFU é a parte mais alta do funil, onde o conteúdo é criado para atrair o maior número possível de visitantes.  Na etapa do TOFU, o conteúdo costuma ser divulgado em formato de postagem para ajudar seus usuários, após o consumo, a identificar o que precisam.

Por exemplo, um post sobre  os motivos pelos quais é conveniente trabalhar em Coworking  Nesta fase, é imprescindível utilizar o UGC, “ Conteúdo Gerado pelo Usuário“, ou seja, qualquer conteúdo criado pelos próprios usuários, seguidores ou no caso do Coworking, seus membros.

Na fase MOFU, você pode começar a oferecer conteúdo com um sentido mais promocional e alinhado com seus serviços de coworking em troca de dados de contato  (geração de leads). O estágio MOFU trata de fornecer conteúdo criado para começar a vê-lo como uma opção a ser considerada para satisfazer suas necessidades. Portanto, você deve ter clareza sobre as necessidades de suas buyer personas em acompanhá-las no funil e prepará-las para a venda.

Nesta fase, podemos usar duas estratégias diferentes:

Mais direto e promocional, em que são oferecidos descontos por tempo limitado em escritórios privados ou mesas fixas, horas de uso para testar o espaço ou o famoso Dia de Prova Gratuita.

O segundo, que visa dar mais valor ao usuário, visa a criação de conteúdo como guias para download, webinars ou eventos online.

Também requer mais recursos, mas pode produzir resultados incríveis em engajamento e reconhecimento da marca.

Agora chegamos à fase mais crucial, que se concentra na conversão (BOFU).

É a peça fundamental que fecha o  ciclo de vendas. Somente usuários que o consideraram uma opção e já estão interessados ​​em seu espaço alcançam a parte mais estreita do funil (BOFU). Para convertê-los em clientes, você deve criar conteúdo personalizado. Acima de tudo, tenha em mente um processo de pós-venda, ou seja, estruture e configure um CRM para rastrear clientes em potencial e um processo de integração em sua comunidade.

A escolha de um tipo de conteúdo ou de outro vai depender de seus objetivos e do estágio do usuário. Você é mais explícito sobre qual tipo escolher; Deixo-vos esta matriz de conteúdo do Smart Insights.

É preciso ter muita paciência porque, na maioria dos casos, é um processo lento.

Depois de ter feito um brainstorm, organize seu conteúdo em categorias e defina uma meta e um formato para cada categoria.

Os principais elementos a serem incluídos nesta fase são:

  • As redes em que público.
  • Quais buyer personas eu desejo abordar.
  • O objetivo do post.
  • O formato.
  • O CTA ou call to action (de acordo com o objetivo da postagem).
  • A última etapa é distribuir o conteúdo em um calendário editorial.

Seu calendário editorial deve seguir o calendário de eventos e promoções promovidos em seu espaço. Em seguida, determine o dia e a hora da publicação e se alguma outra ação acompanha a postagem.

Anúncios Sociais

Começamos com estas estatísticas do Hubspot: “Apenas 6% dos seguidores de uma página veem uma publicação orgânica, e aqueles que não gostaram da página provavelmente não a verão.”

Se você gerenciou uma página de negócios no Facebook nos últimos anos, deve ter notado várias mudanças em termos do número de seguidores que se engajam com seu conteúdo orgânico e aqueles que se engajam com seu conteúdo pago.

Por que seu alcance orgânico diminuiu no Facebook?

Bem, a motivação é simples… Mais anúncios estão competindo por espaço no feed.

Também podemos constatar esta  tendência no mundo do Coworking.

Cada vez mais espaços começam a investir no Facebook e Linkedin Ads, uns com bons resultados e outros que ainda não percebem os benefícios, por isso a pergunta fica fácil:

O conteúdo pago vale a pena? Temos certeza de que o Coworking está investindo e explorando bem essas ferramentas?

Vamos deixar a teoria de lado e ver  como estruturar campanhas no Facebook e Linkedin para um escritório de coworking.

Vamos dar um exemplo prático e supor que o Coworking X em Ribeirão Preto oferece escritórios privados projetados para pequenas e médias empresas, bem como um espaço de trabalho compartilhado e flexível. Este Coworking pretende começar a atrair potenciais clientes para lotar os seus Gabinetes Privados, que são os espaços que rentabilizam o negócio de Coworking.

Depois de estudar seus concorrentes diretos, conhecer sua Persona de Comprador e estabelecer uma promoção por tempo limitado para atrair mais empresas potencialmente interessadas, você começa a estruturar um funil de conversão.

Agora é a hora de colocar em prática tudo o que você aprendeu antes.

Objetivo : Geração de Leads

Público Alvo :

CEO.

Proprietário.

Fundador.

Gerente de Recursos Humanos.

CMO.

Gerente.

Gerente de Pessoas.

Mídia social: Facebook e Instagram – Linkedin

Aplicamos a metodologia Full-Funnel integrando conteúdo orgânico com anúncios promocionais.

TOFU (topo do funil)

Nesta parte do funil, dirigimo-nos a pessoas que não conhecem este espaço e, em alguns casos, nem sabem o que é precisamente um escritório de coworking.

Como já mencionamos, usamos conteúdo que mostra as vantagens de trabalhar em um coworking, talvez destacando a economia em comparação com o aluguel de um escritório tradicional (você também pode integrar com um artigo de blog) ou vídeos de histórias de sucesso de startups do ecossistema.

Definimos metas “mais fáceis” para o Facebook, como interação, visualizações de vídeo ou tráfego para o blog.

Nesse caso, usamos cerca de 50% do orçamento.

MOFU (meio do funil)

Estamos começando a ter um público “mais quente” aqui, e eles já nos conhecem.

Por que não mostrar a eles os depoimentos dos atuais colegas de trabalho e das empresas que fazem parte do seu espaço?

Ou por que não organizar um webinar gratuito sobre tópicos como startup, marketing digital, empreendedorismo e afins?

Passamos a aproveitar as formas nativas do Facebook e Linkedin ou criar Landing Pages para coletar dados e mostrar os valores que diferenciam o seu Coworking.

Nessa fase, o orçamento investido é de aproximadamente 30% do total.

BOFU (meio do funil)

Aqui temos que trabalhar 100% focados na geração de prospects interessados ​​em alugar um escritório particular e fazer parte de uma comunidade (porque convenhamos, nem todas as empresas estão preparadas para adotar a cultura de coworking).

Além de promoções e frases de chamariz promocionais, continue mostrando seu valor diferencial (pode ser sua comunidade, meio ambiente, localização central, etc.)

As tarefas nesta fase são otimizar e testar a copy, criatividade e taxa de conversão da Landing Page.

Neste momento o público está muito próximo, provavelmente no final do processo de decisão, mostrando também as vantagens que seus trabalhadores podem ter ao trabalhar em um escritório de coworking (refeitório, academia, descontos em restaurantes, etc.).

Gestão Comunitária

Quando você trabalha em uma comunidade, você cria uma relação de dar e receber. Você oferece um bom serviço aos seus membros e eles serão seus promotores em troca.

Promova seus membros e seus negócios. Se você anunciar suas atividades profissionais em suas redes como um benefício extra, isso agregará valor à sua oferta. Além disso, beneficiará o seu espaço e aumentará o conhecimento e o alcance da marca, pois gerará conteúdo mais relevante para novos membros em potencial que trabalham no mesmo setor.

Você pode até oferecer algumas vantagens em troca da criação de conteúdo para o seu blog ou seus perfis nas Redes Sociais, como algumas horas gratuitas por mês, descontos no aluguel ou taxas de adesão para recomendações, comidas e bebidas gratuitas. Pode ser muito encorajador  integrar sua comunidade à estratégia de mídia social do seu coworking.

Criar uma geração contínua de conteúdo de seus membros o ajudará a atrair um novo grupo de membros para ingressar em seu espaço.

Uma parte essencial da gestão da comunidade é o  marketing em tempo real.

O marketing em tempo real (RTM) é quando uma marca pode ser reativa e responder rapidamente a estímulos externos, como notícias, situações ou aniversários específicos.

No caso do Coworking, mostrar momentos do dia a dia, aniversários, as conquistas marcantes de seus membros e tentar interagir com eles também online.

  1. Análise e Medição

Qualquer coisa que possamos medir pode ser melhorada.

Agora vamos para a parte dos dados. 😎

Defina as métricas básicas para medir seus objetivos.

O mais comum no setor de coworking é o  CPL  (custo por lead), o  número de leads, a  taxa de conversão (CR) de seus anúncios e a fase de jornada do cliente antes do lead se tornar um novo membro.

Podemos definir métricas não diretamente relacionadas ao desempenho do negócio (Taxa de Engajamento, Seguidores, etc.), mas são essenciais para medir para avaliar o crescimento orgânico de seus perfis nas Redes Sociais.

📌Você deve saber diferenciar entre métricas e KPIs.

📌Todos os KPIs são métricas, mas nem todas as métricas são KPIs.

Do meu ponto de vista, as duas métricas mais importantes, que muitos gerentes de coworking perdem, são ROAS (Return on Advertising Spend) e LTV (Customer Lifetime Value).

O Customer Lifetime Value (LTV) em um coworking  é o benefício médio que você obterá por membro ao longo de seu relacionamento.

Ao abrir seu escritório de coworking pela primeira vez, você não saberá o valor vitalício de seus clientes. Você vai adivinhar ou pelo menos calcular com estimativas.

Com o tempo, você terá dados suficientes para avaliar melhor qual deve ser esse valor.

Eu recomendo que você calcule a média de um ano ou mais. Se você não tiver dados suficientes, dê seu melhor palpite, mas mantenha-o baixo e conservador.

Existem muitas maneiras complicadas de medir o LTV, facilmente pesquisadas no Google (mas são mais difíceis de aplicar).

Você pode determinar o LTV de cada colega de trabalho multiplicando a renda média mensal pelo número de meses que eles alugarão em seu espaço. Novamente, você deseja que seu LTV seja mais alto, idealmente muito mais alto, do que seu CPA (essa é outra métrica de negócios de coworking crítica).

O valor da vida útil é o KPI real que deve ser levado em consideração para calcular o retorno do seu investimento em publicidade (ROAS).

Agora que chegamos ao fim, você tem a base para estabelecer um plano de mídia social que seja financeiramente sustentável ao longo do tempo.

Os escritórios de coworking oferecem muitos benefícios, como níveis aumentados de criatividade, padrões de trabalho aprimorados, laços aprimorados com a comunidade e muito mais. Essa tendência moderna de empregos tem um grande mercado para atender. Como um escritório de coworking, você oferece um serviço valioso, e com mais  valor agregado  nas mídias sociais do que seus concorrentes, você vai encher rapidamente e sempre ficar cheio.

Inventar, testar e se divertir são as palavras-chave de um Plano de Mídia Social.